segunda-feira

Formando leitores

"Me digas com quem tu andas que direi quem tu és..."
"Me digas o que lê e direi quem tu és..."
Quer formar leitores? Seja um e saberá como.
Não tem formula ou receita, é simplesmente ler.

Ler tudo que lhe interessar: receitas, revistas, livros, quadrinhos tudo é conhecimento bom ou ruim. Ler, ler e ler...
E só o tempo e muita leitura lhe capacitará a discernir e a ter uma leitura de mundo mais ampla e eloqüente.

Tenho uma filha de 7 anos que está descobrindo a leitura agora. É lindo ver e presenciar esta descoberta, que não faz por obrigação, mas por curiosidade, com alegria e prazer. Começou a ler aos 5 anos, uma palavrinha aqui a outra ali. Mas agora lê tudo que encontra livros, revistas, receitas e quadrinhos (principalmente), adora e dá boas gargalhadas, lê com satisfação. Ultimamente, tem adorado as fábulas de ESOPO já leu e releu quase todas. Mas esse amor pela leitura não foi ensinado, ele foi descoberto, deslumbrado.
Você sabe que cenoura é bom para a saúde mas nem por isso você come cenoura todos os dias. O mesmo acontece com a leitura faz parte do seu dia-a-dia, é necessária. Você pode obrigar alguém a ler, mas não pode ensinar a amar o mundo das letras. Essa "essência" mágica só pode ser transmitida por algo maior, por algo que não pode ser explicado por palavras. Essa paixão, essa eloqüência só pode ser vivida, experimentada. Então, só aquele que tem vivências literarias significativas pode realmente formar um bom leitor.

Revistas e revistinhas são uma boa opção de informação e lazer. Gosto de varias e de todos os assuntos, sempre tem algo de interessante ou curioso para oferecer.

Quandrinhos são ótimos. Eu ADORO, principalmente, MAFALDA e CALVIN são, extremamente, inteligentes. A diversão é garantida.



Livros e mais livros...




de todos os assuntos...





Romances e romances...

Leia sempre.





Estou lendo esse... quem conta a história é a morte e acontece durante a 2ª guerra mundial, época que me desperta muito interesse.





Sisto(2005) afirma em seu livro que é comum o educador querer desenvolver em seus alunos o gosto pela leitura, quando ele mesmo não é um leitor. O contador de histórias PRECISA GOSTAR DE LER, isso é um pré requisito básico, caso contrário sua intervenção é fraca, e desprovida de sentido, pois se torna algo artificial. Mas, antes de tudo não pensar na leitura como uma exigência profissional, teórica, mas acima de tudo como uma necessidade pessoal. Essa amplitude é que confere ao profissional uma leitura mais sofisticada de mundo, com discernimento para dizer o que é bom ou ruim, para ler nas entre linhas, falar com entusiasmo e emoção. O contador é acima de tudo um curioso, um investigador que olha 360º . Que é capaz de falar com segurança é paixão do mundo das letras.

Um comentário:

Anônimo disse...

muuuuuuuuuuuuuuuuuuito show esse blog amei...
fico encantada com esses trabalhos..!

este livro tambem li...muito bom..