Fazer

Como fazer um fantoche de luva O fantoche como coadjuvante do processo educativo
O fantoche é um outro recurso, significativo, para a “Contação de Histórias”. Utilizado com muita freqüência no ambiente escolar, é um excelente auxiliar na tarefa de contar histórias, facilitando para o educador, que encontra no boneco um meio físico, real de envolver as crianças, de forma mágica e lúdica. Pois, o fantoche é mais que um simples boneco, é a "personificação" do personagem que se torna algo real e concreto, que expressa emoções e sentimento através dos gestos e da voz de quem o manipula.
O fantoche é um objeto de expressão, tem função social, é um ser de comunicação, promovendo relações com o mundo interno, externo e com o outro. Os fantoches são em si provedores de diálogo (Santos, 2006 p.75). A construção da história pessoal que vai sendo medida e ampliada pelo outro. Para a criança que ouve é extremamente envolvente e mágico, já que este personagem parece realmente existir. Ela, então, entra no jogo da imaginação, rapidamente, acreditando que o fantoche tem vida própria, capaz de manter até um diálogo com o boneco por muito tempo, sem perceber ou dar importância para quem o manipula, ou seja, fica completamente absorvida pelo boneco, que em sua imaginação tem vida, é um ser.
Segundo Santos (2006,p.73) o fantoche é um objeto que transita entre o mundo interno e o externo da criança. Ele é um símbolo da intimidade de seu ser expresso em brincadeira. Assim, o fantoche tem alto valor pedagógico, criativo e terapêutico, pois, a criança tanto pode assistir a história, como pode manipula-lo e dar vida àquilo que toca. A oralidade, nesse momento, tem fundamental importância e é com certeza desenvolvida em sua plenitutude, pois é ela que garante a expressão de valores, sentimentos, emoções e criatividade de quem o manipula, seja o educador ou a criança.
Assim, o fantoche é um personagem criado pelo seu maipulador e todo personagem carrega uma história. Allessandrini (1996,p15), explica que a transposição para a linguagem verbal ocorre na perspectiva de “ressignificar” o processo em que a imagem interna sugere a criação de uma mensagem oral. O que confirma a afirmação de Matos (2006), que cada vez que uma história é contada, mesmo que por varias vezes, é única, pois o contador e a plateia nunca são os mesmos. Sendo assim, aproveite bem este material que uso nas oficinas de "contar histórias", para criar fantoches, ou melhor seres fantásticos com histórias maravilhosas, afinal como disse Rodari (1982 ) fazer fantoches é ofício mais bonito do mundo.
Lembre-se, cada momento é único, assim como cada história contada é única. Devemos emprestar ao fantoche nossas vozes e gestos, carregados de significados e afetos para chegarmos facilmente ao coração da criança, pois contar histórias é oferecer um presente. É se oferecer de corpo e alma para o outro.
É se oferecer de coração e isso tem nome, é AMOR.

“Toda estrada é segura para quem acredita no amor.”

Vamos fazer um fantoche?
Você vai precisar de 20cm de feltro, 1 tesoura, 1 pistola de cola quente, retalhos de EVA, lã(para fazer menina) e + apretechos ( botões, fitas, cordões, olhos móveis, etc,etc,etc...)

Corpo base
•Corte 2 vezes o molde acima em feltro para fazer o corpo base.

•Passe cola quente ou costure nas laterais, como mostra no tracejado do desenho, deixando as extremidades livres para o acesso da mão e dos dedos.






•Se quiser cole ou costure a roupa ou outros detalhes.•Se estiver fazendo um animal cole a bariguinha, rabo ou manchas.






cabeça
•Corte 2 vezes o molde da cabeça em feltro na cor do seu fantoche.
•Cole a parte de trás da cabeça na parte de trás do corpo base já pronto.
•Passe cola quente, como mostra no tracejado do desenho, para colar a outra parte da cabeça.




Acabamento final

•Corte 1 vez o molde em feltro ou emborrachado dos detalhes correspondente ao seu fantoche.
•Cole com cola quente.
•Recorte os olhos em emborrachado ou use olhos móveis e cole no fantoche.
•Complete, se necessário, com mais algum detalhe, dando seu toque pessoal.



















Figura humana
• Um novelo de lã da cor de sua preferência.
• Cabelo comum: corte de 30 a 40 fios de 40cm.
• Cabelo de trança: corte de 30 a 40 fios de 60cm.
• Cabelo de trança rapunzel: corte de 30 a 40 fios de 80cm.
• Pegue 3 arames (tipo os que são usados para fechar saco de pão de forma), use 1 para amarrar a lã na metade.

• Amarre os dois arames, 10cm para um lada e 10cm para o outro.


•Se for fazer tranças, faça a partir dos arames das laterais.

•Quando faltar 4cm de lã para acabar de trançar, use mais dois arames parafazer o acabamento.

•Passe cola quente na metade de cima da cabeça. Deve torcer um pouco o cabelo de lã e, então, cole.









A partir da figura humana básica crie todos os personagens para suashistórias, usando a imaginação e a criatividade acrescente acessórios como: chapéus, óculos, coroas, brincos, colares,varinhas, vassouras, barbas, bigodes... E muito carinho!






E boa história!



Corra o risco... é só desenhar e criar!!!

Corra o risco no papel... sem medo de ser feliz. Este é o meu segredo. Fazer fantoches, bonecos, chapéus é muito fácil. O segredo é descobrir que nem tudo é certinho ou perfeito. A verdadeira beleza está aí na imperfeição. Por acaso você já viu uma borboleta bola?
Bobô e Jojô... muito prazer!

Ô legal é ser inusitado, diferente. É isso que confere mágica ao personagem. Então, corra o risco, sem medo de ser feliz!